Newsletter: :: FACEBOOK   :: GOOGLE +   :: YOUTUBE    :: ACESSO RESERVADO
solidario2015 ADP2015 ADP2015-1 Carbon Edition Natal 2014 atv2014 diaadp garrafao solidario2013 Idenha2013 Raid Barro-Obidos 2013 MalandrosBTT 2013 Santa cruz Vinhas de Torres Vedras Paisagem Santa cruz Fotografia Grupo com estatua Joaquim Agostinho Apresenta Amigos do Pedal 1 Apresenta Amigos do Pedal 2 Apresenta Amigos do Pedal 3 Apresenta Amigos do Pedal 4 Apresenta Amigos do Pedal 5 Apresenta Amigos do Pedal 6 Apresenta Amigos do Pedal 7 Raid Obidos 2012 Fatima 2012 Maratona de Sintra - 2012 Paisagem ADP beira mar BTT arribas Apresenta Amigos do Pedal 9 Apresenta Amigos do Pedal 8 Pega no Vimeiro 24 horas monsanto Joao Leitao 24 horas monsanto Antonio Jacinto 24 horas Monsanto Filipe 24 horas Monsanto Tobe a noite 24 horas Monsanto Antonio Jacinto na curva  7º Passeio Solidário Amigos do Pedal - Clube BTT / APECI

Saúde no BTT


- Basta 20 minutos mágicos -

Se anda de bicicleta por prazer, para estar em forma, para gozar da companhia dos amigos, para ter umas pernas musculadas, pode agora juntar mais uma razão de peso a todas as outras: a melhoria da saúde. Segundo um estudo conclusivo foi demonstrado que a prática deste desporto, tem enormes benefícios para a saúde. Se ainda não experimentou “pedalar a sério”...esta é a altura de encaixar os pedais!
 
“Todos os que andam de bicicleta com regularidade poupam em consultas ao médico”. Esta é uma afirmação de Dr. Proböse, presidente do Centro de Saúde da Universidade Alemã do Desporto. “Muitas pessoas que sofrem de incómodos típicos, como dores de costas, aumento de peso ou doenças cardiovasculares, podiam gozar de muitos anos de boa saúde se usassem mais vezes a bicicleta”. E o médico dá ainda uma boa notícia para os que pensam que já estão velhos: ainda que se comece com uma idade avançada a fazer exercício regularmente, os resultados serão sempre visíveis em pouco tempo.” 



  • O QUE FAZ A BICICLETA PELA SAÚDE?
     
    Directo ao coração e sistema cardiovascular

    Se passear de bicicleta de uma forma regular reduzirá imediatamente o risco de enfarte em 50%. Com o exercício do pedalar, o ritmo cardíaco aumenta e a pressão arterial diminui: o coração trabalha economizando. Vai reduzir o “mau” colesterol (LDL), de forma que os vasos sanguíneos terão menos possibilidades de calcificar-se e, por sua vez, aumentará o colesterol “bom” (o HDL). Os vasos sanguíneos permanecem flexíveis e saudáveis se movimentar as pernas todos os dias.
     
    Para a máxima eficiência do exercício recomendamos que faça um trabalho de intervalos com mudanças de ritmos frequentes. É o tipo de treino que mais rapidamente tem efeitos na condição física. Aqueça a um ritmo suave, com uma cadência de pedalar alta, alcance o ritmo de rodagem. Depois a cada 15 minutos, intercale aumentos de intensidade de 3 a 4 minutos de duração durante os quais a pulsação irá alterar-se consideravelmente (80 a 85% das pulsações máximas).

    Compense com alguns exercícios de abdominais, contraindo esta zona com as pernas flectidas cada vez que pedalar. Assim terá na bicicleta umas melhoras das actividades para os que sofrem dores de costas. Mas há que ter em atenção aposição que se adopta em cima do selim se tiver dores. Uma má postura pode ajudar a intensificar as dores na zona lombar, prejudicando ainda mais a saúde. Deve sentir-se bem em cima do selim, caso contrário poderá prejudicar a sua condição física.

  • ATACANDO PELAS COSTAS
     
    Quando se adopta a postura óptima no selim, com o tronco ligeiramente inclinado para a frente, a musculatura das costas está sobre baixa tensão e vê-se obrigada a estabilizar o tronco. Muitas dores de costas provêm da inactividade, que reduz a alimentação dos discos invertebrados e estes, por sua vez, vão perdendo a capacidade de amortecer os impactos. Além disso, a falta de exercício faz com que a musculatura das costas se vá atrofiando, diminuindo consideravelmente a função de “mola”. Os movimentos regulares das pernas fortalecem a zona lombar, prevenindo o aparecimento de hérnias discais e mantendo a coluna protegida por vibrações e pancadas. O ciclismo estimula os pequenos músculos das vértebras dorsais (muito difíceis de trabalhar noutro desporto), ao fazer constantemente que se comprimam e alonguem com o movimento do pedalar.

  • FAÇA UMA SURPRESA ÀS SUAS RÓTULAS
     
    A diferença para as actividades em que existe impacto no solo, como os saltos ou a corrida é que, em cima da bicicleta, as rótulas estão protegidas, pois 70 a 80% do peso do corpo exerce a força da gravidade sobre o selim. O impacto excessivo de alguns desportos diminui a acção líquido articular ou sinovial, uma substância muito viscosa que contribui para a lubrificação das articulações, facilitando os movimentos. A bicicleta será, para alguns casos, a melhor alternativa à corrida, com benefícios físicos muito similares e sem tanto desgaste articular.

    Evite utilizar relações muito “pesadas” se quer conservar sãs as suas rótulas. Tente que a cadência do pedalar não baixe as 70 rpm em nenhum momento. Conte uma volta desde que o pedal de um lado passe pelo mesmo sitio. Neste caso, as 70 rpm correspondem a 70 pedalas. Parece muito escrito em papel, mas descanse que, no terreno, é muito fácil atingir este número.

  • EVITE INFECÇÕES E AFASTE O CANCRO
     
    Cada vez que passeia de bicicleta, está a dar impulso à potência do sistema imunológico. As células “come-bactérias” do corpo, os fagócitos, mobilizam-se de forma imediata graças ao pedalar para aniquilar bactérias e células cancerígenas. Esta é a razão pela qual se recomenda andar de bicicleta a doentes cancerosos e seropositivos. O Dr. Pröbose realça os benefícios da bicicleta para pessoas que estão no meio de um processo canceroso: “É como se as células que se encarregam da defesa do corpo despertassem mediante o pedalar de uma prolongada letargia”.
     
    Os esforços moderados reforçam o sistema imunitário, enquanto que os de intensidade máxima debilitam-no. Se está exposto a factores de risco (frio, pessoas infectadas, poucas horas de sono...), não execute trabalhos muito intensos, espere que as reservas de energia fiquem equilibradas para desenvolver este tipo de esforços.

  • DIGA ADEUS ÀS PREOCUPAÇÕES
     
    O cérebro fica mais oxigenado, permitindo-lhe pensar melhor. O seu corpo segrega endorfinas, as hormonas que o fazem sentir-se melhor, o que pode tornar-se um vício (saudável de qualquer forma).
    Está provado que aqueles que andam de bicicleta regularmente sofrem menos doenças do foro psicológico como depressões, por exemplo. Pedalar é um dos melhores anti-depressivos naturais que existem.
     
    As endorfinas, também chamadas hormonas da felicidade, são geradas com a prática de exercício físico, de forma mais notável quando se passa mais de uma hora em cima da bicicleta. Assim, já sabe: ponha o alarme do relógio para uma hora e não pare de pedalar até chegar aí.

    Mas se não se sentir bem, evite ultrapassar os limites já que provocará o efeito contrário no organismo.

Deixe aqui o seu comentário sobre esta página
Nome:
Comentário:
Maria João Ramos
Comecei andar de bicicleta em Agosto de 2015, e fiquei viciada em pouco tempo, deixei o ginásio que era uma seca de estar 2 horas fechada a fazer sempre os mesmos exercícios e passei a andar de bicicleta mais vezes, sinto-me mais calma, vejo que tenho menos crises de ansiedade e só falta fazer analises para ver se o meu colesterol baixou, ao Sábado é o dia de bike e é para fazer percursos de passeio onde saiu de manha e só regresso ao fim da tarde, faço kms nas calmas por trilhos, estradas secundarias e tiro fotos, uns sábados maravilhosos e bem passados e que me enche de energia para o resto da semana.
Não sei de onde é a Dª Helena mas se quiser juntar a 2 senhoras na casa dos 50 anos para passear enviamos o convite somos de Vilar, Cadaval.
2016-03-17 10:33:16
Francisco Henrique Pedro (Patrícia)
Eu só o resultado de muita pedalada, incentivo os sépticos a aderirem
2016-01-10 19:58:06
Amigos do Pedal
Olá Helena, temos relatos de muitas pessoas que utilizam a modalidade como forma de anti-depressivo.
Infelizmente também temos situações de colegas nossos com o mesmo problema de hérnia.
Como não nos deixou um contacto de email, vamos dar um conselho, baseado em colegas nossos. (Vale o que vale)
1º Não deixe de praticar desporto seja ele qual for. Se gosta e se sente bem a fazer , é a melhor forma de termos saúde física e mental.
2º Caso queira andar de bicicleta e fisicamente o BTT não é opção, experimente o cicloturismo.
Existe muitos grupos e clubes desta actividade e eventos em que o convívio e o andar de bicicleta por estradas segundarias permite ver também boas paisagens.
Boas pedaladas.
ADP
2013-05-22 10:47:17
helena
ola, comecei a fazer BTT a quase 3 anos, mas em janeiro deste mesmo ano tive uma queda, onde fiquei com umas dores nas costas. fui fazer alguns exames e foi detetado hernias discais. tenho sofrido mt com isto pois eu toda a vida tomei medicamentos para as depressoes e quando comecei a fazer este desporto consegui deixar os anti-depressivos, agora que estou parada a 4 meses nao sei até quando vou aguentar sem medicamentos. Ja fiz de tudo para tirar estas dores mas ja sao poucas as esperanças de voltar a fazer BTT sem dores. Gostava que me de ter uma soluçao para mim ou será que a soluçao é ficar sem praticar aquilo que mais gosto?
ajudem me pf
2013-05-20 13:56:11
Mini Ferreira
Pratico BTT e estava a fazer um trabalho sobre saúde no desporto e não sabia que fazia tão bem o corpo humano. Obrigado pela ajuda!
2012-12-05 20:50:48

Notícias

Patrocinadores

Apoios

Pensamento

"Não temos de nos tornar heróis do dia para a noite. Só um passo de cada vez, tratando cada coisa à medida que surge, vendo que não é tão assustadora como parecia, descobrindo que temos a força para a superar."

Eleanor Roosevelt (1884-1962) - Diplomata das Nações Unidas - Primeira dama do EUA
Copyright © Amigos do Pedal - Todos os direitos reservados. Site Desenvolvido por: Cyclop Net - Desenvolvimento de Sites Profissionais.